Sábado, 20 Set 2014
 
 
Vital para a saúde, Omega-3 produzido com microalgas protege a vida marinha
O cultivo de microalgas para produção de Omega-3 gera empregos sem comprometer os recursos marinhos e, ainda, revitaliza uma área degradada da Praia de Vargas, nas Ilhas Canárias

O consumo de alimentos ricos em Omega-3, especialmente aqueles provenientes dos recursos marinhos, cresceu vertiginosamente em todo mundo em razão de sua importância para a saúde e prevenção de enfermidades graves. Em consequência, houve uma drástica redução das espécies com maiores teores de Omega-3, como o arenque, sardinha, atum, salmão e, principalmente, o krill – espécie semelhante ao camarão com um dos mais baixos índices de contaminação.

O pequenino crustáceo elimina de seu corpo substâncias altamente tóxicas acumuladas nos oceanos (mercúrio, dioxinas e os químicos conhecidos pelas siglas PCBs e DDTs), e por isso tornou-se preferido para extração de óleo destinado à produção de Omega-3.  Sugado por traineiras potentes em quantidades que ultrapassavam 100 toneladas em uma única pesca, o krill quase foi dizimado dos mares dos norte-americanos e europeus, provocando desequilíbrios ambientais sem precedentes, pois a espécie é chave na cadeia alimentar.

Substituição inteligente

A substituição do krill e de outras espécies marinhas na produção de Omega-3 foi o desafio enfrentado pelo Centro de Biotecnologia Marinha das Ilhas Canárias e as empresas Clean Algae e AlgaeBiotech. Estudando diferentes tipos de microalgas, os pesquisadores encontraram uma espécie, denominada Narrochloropsisgaditana, com propriedades nutricionais e teores de Omega-3 idênticos aos dos peixes.

Numa área de 10 mil metros quadrados, na Praia de Vargas, que estava abandonada devido ao seu estado de degradação social, as empresas começaram a cultivar as microalgas em 2008. Como o cultivo não exige instalações complexas e caras, no início deste ano começaram a expandir o projeto. Dos 40 empregos iniciais passaram para 100 novos postos de trabalho diretos, número que deverá aumentar tendo em vista tendo em vista que as empresas almejam serem as maiores produtoras de microalgas da Europa.

O produto derivado das microalgas, além de desvincular-se da captura de peixes e do krill, contribui para a redução do aquecimento global, pois o crustáceo retém dióxido de carbono (CO2) da atmosfera depositando-o no fundo dos oceanos.

O nutriente vital para a saúde
Obtidos de peixes, crustáceos, oleaginosas, alguns tipos de verduras e frutas, os ácidos graxos do tipo Omega-3 são vitais para o equilíbrio da saúde. A carência desse nutriente está associada a problemas degenerativos do sistema nervoso e da retina, além de influenciar no aparecimento de enfermidades cardiovasculares, câncer e inflamações como a artrite. Predominante na composição da matéria cinzenta do cérebro, o Omega-3 é indispensável no desenvolvimento do sistema nervoso de recém-nascidos e sua eficiência no combate à depressão e no fortalecimento do sistema imunológico foi comprovada recentemente.
Fonte: Corina Moya Falcon, Parque Científico e Tecnológico de Gran Canária, Espanha
www.cleanalgae.es; www.algaebiotech.es Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 
next
prev